quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Um conto para o povo

Em um lugar não distante daqui,  havia um povo insatisfeito com o "Poder" que lá existia, o povo não se beneficiava com nada, não tinha trabalho, não tinha saúde e nem educação digna para seus filhos, em cada beco deste lugar se encontrava uma roda discutindo os desmandos do poder, todos indignados, discutiam como a situação poderia mudar, cada um dava sua opinião, mas saia ano e entrava ano e as coisas pioravam, e as reclamações sempre as mesma.
O  regime de governo desse lugar era democrático. portanto as pessoas votavam, homens, mulheres, adolescentes com 16 anos e analfabetos também, os que entravam no poder eram eleitos na sua legitimidade.
E as reclamações, tinham os mais diversos aspectos, corrupção passiva e ativa, desvio de verbas, neopotismo, e por ai vai...
Um dia um grupo de amigos estava a discutir tais problemas numa calçada, com os aminos exaltados, por tanta coisa errada que lá acontecia, e já não havia mais esperança, e a próxima eleição já estava marcada...
Sentado em um banquinho um senhor com cabelos brancos, óculos redondo, face rosada, só ouvia a conversa, observava atento tudo que se dizia lá e não manifestava.  Foi quando um homem rústico com os nervos a flor da pele, dirigiu-se ao senhor e perguntou: __E o  senhor está satisfeito com tudo isso, nunca diz nada?
E o senhor voltou-se para o homem calmamente e respondeu: ___Eu não sou responsável por isso, não elejo ninguém, minha idade não me obriga mais, mas se no tempo que eu votava estivesse assim... não iria as urnas...só faço aquilo que acredito, e só votaria em quem acredito...ou forçaria a me provarem isso.
Todos emudeceram no instante que o senhor terminou a sua resposta, e começaram a falar sobre outros assuntos e após isso cada um voltou para sua casa.
Naquela eleição ninguém foi as urnas, a eleição foi cancelada uma, duas, três vezes...
Os candidatos entenderam o recado... espero que todos entendam também..
As reclamações são inúteis, o povo já  virou chacota de quem esta no poder, o que é necessário é ação...
palavras sem ação não é nada, são apenas palavras...
Isso é um conto, mas pode não ser...

Postar um comentário