quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Em nossa sociedade já não cabê mais desigualdade.

A desigualdade social, existe e sempre vai existir. Somos divididos em classes, começa por ai. Os mais pobres além de sofrer toda dificuldade, ainda sofre o preconceito por ser “pobre”. Vivem a margem sem oportunidades e sem chances para melhorar sua condição.
A nossa Constituição diz que somos todos iguais, que temos os mesmos direitos e deveres, mas  isto está somente no papel,a realidade é bem diferente, diz que todos temos o direito a educação, sim temos , mas quem pode paga para tem uma educação, quem não pode vai para a escola pública passa muitas vezes sem saber nada, porque o Estado paga mal aos professores e esses não tem incentivo necessário para ensinar. Diz que temos direito a saúde, quem pode paga um bom convenio médico, quem não pode fica na fila esperando ser atendido, quando não  morre na fila mesmo. Diz também lá na Carta Magna que todos tem direito ao trabalho, e máximo que lhes é garantido é um “Bolsa Família”, o pobre não quer esmola, o pobre quer ter o direito se ser gente.
Mas essa discriminação é algo cultural, o Estado tem sua parcela de culpa por não dar condições para que a situação do “pobre” mude.
Mas a sociedade tem um papel fundamental para essa mudança, começando pelas famílias onde a educação deve ser voltada para as diferenças,  o respeito a todas elas é de extrema importância, seja qual for ela : racial, religiosa, opção sexual e nível social, e ensinar os filhos  a lidarem com essas diferenças , já é um passo grandioso para uma sociedade mais digna e justa.
Porque essa imagem cultural que somos diferentes, melhores ou piores que os outros já é algo ultrapassado, e não cabe mais em nossa sociedade;  o que cabe  agora é respeito e procurar sempre a igualdade, e lutar por ela.


Postar um comentário