sexta-feira, 29 de junho de 2012

EX AMORES

Estava eu aqui pensando em meus ex amores, que passaram no decorrer da minha existência. Alguns verdadeiros outros nem tanto, acredito que dois foram de verdade, um de criança que era platônico, esse doeu muito, e o mais importante que dura até  hoje, mas que a morte separou. Mas a vida segue. 
Acredito que tinha uns 12 anos, me apaixonei por um garoto que nem sabia que eu existia, mas eu insistia em dizer que era meu namorado, coisas de criança. Conto essa historia para as meninas com essa idade que se deparam com a mesma situação, essa primeira paixão faz parte da vida de todas nós, é nessa idade que despertam os sentimentos.
Namorei bastante, pensei que estava apaixonada por todos, até que aparecia um mais interessante, mudava de amores como se troca a roupa, coisas de adolescente. Naquele tempo um rosto bonito bastava, mas quando abria a boca o encanto desaparecia por completo. E ai a fila andava.
Conheci meu grande amor, por volta de 1984, a principio foi o tal rostinho bonito, não foi uma paixão, teve todo um processo de construção desse amor, que durou anos, para concretização e para ter certeza de ser verdadeiro. Fui muito feliz com pouco, não precisava de muito, o amor bastava. Esse é o melhor dos sentidos, saber que não precisava de mais nada, isso é amor.
Hoje estou sozinha e acho que endureci, e não encontro espaço para o amor.Uma pena o coração foi feito para isso, hoje a razão toma conta da minha vida, talvez a opção mais correta seja essa, se é certo não sei, se outros amores virão também não posso afirmar, porém uma coisa é certa...Amei demais, e isso já um bom sinal.
A vida é assim: amar, sofrer, sofrer, amar...e a vida segue.



Postar um comentário